Buscar

Como diminuir os custos em plena crise

Atualizado: 22 de Nov de 2017


Você sentiu os efeitos da crise no seu salão? Pois é... você não está sozinha! Ela impactou todos os setores da economia, inclusive os salões de beleza. E os resultados para quem não está preparado são devastadores:

Cadeiras vazias... guerra de preços... concorrência desleal... falência...

Muitos salões fecharam as portas. Alguns profissionais migraram para outros salões e vários abriram mão de trabalhar no que amam para garantir empregos e um salário fixo mínimo... mas garantido.

Quem resiste, vive batalhas diárias para manter a saúde financeira do salão. E, acredite! A maioria já não sabe como atrair as clientes e equilibrar o faturamento. Para completar, as gigantes da cosmética ainda tentam roubar sua cliente, incentivando a cuidar de sua beleza em casa.

Mas...

A grande notícia é:

A crise também gera oportunidades! Pois obriga aos gestores que se reinventem, inovando para criar estratégias de crescimento para seu negócio.

Assim, cabeleireiros que tem pensado “fora da caixinha” não estão só mantendo o seu faturamento, mas sim, crescendo. Em plena crise!

Como? Fazendo diferente! “Em terra de cego, quem tem um olho é rei!”. Se todos divulgam seu salão do mesmo jeito e oferecem os mesmos serviços, sua cliente usa principalmente o preço como fator de decisão na hora de escolher em qual salão fará o procedimento que deseja (olha a guerra de preços aí!).

Logo, quem se diferencia, não precisa canibalizar os preços e atrai mais clientes dispostas a pagar mais por um serviço único. Por exemplo: você faz “hidratação”? Pois é... TODOS os seus concorrentes também! Como você poderia diferenciar esse serviço para agregar valor?

Da mesma forma, fique atenta aos custos! Tanto os fixos, quanto variáveis:

Custos Fixos: Sabe aquela estratégia de ligar para a operadora de telefonia dizendo que você quer cancelar o serviço por que está muito caro? Sempre fazem inúmeras propostas, não é mesmo? É por que não querem perder você como cliente! Da mesma forma, se você paga aluguel, por exemplo, pode ser um ótimo momento para renegociar com o locador o preço. Acredite, ele sabe que será difícil encontrar outro locatário, e com certeza cederá um belo desconto para que você permaneça no imóvel.

Custos variáveis: você sabia que os produtos representam o principal custo variável do salão? E você já se deu conta do quanto custa cada visita dos vendedores? Combustível, alimentação, capital de giro, tempo... Pois é... bater de porta em porta custa caro. E infelizmente, a margem de lucro sobre os produtos precisa ser muito alta, para cobrir todos os custos. E quem paga essa conta? Você!

Recentemente, conheci um modelo de negócios muito inteligente: a empresa simplesmente eliminou os atravessadores (distribuidores, vendedores, etc) e fornece os produtos direto da fábrica para os salões. Dessa forma, a empresa elimina vários custos com os distribuidores e o cabeleireiro economiza toda a margem de lucro que eles praticam. Comprando direto de fábrica, os produtos chegam à metade do preço. Além disso, o suporte técnico é prestado diretamente pelos técnicos da marca.

Esse modelo de negócios tende a dominar rapidamente o mercado da beleza, principalmente pelas consequências que a crise está gerando. E pagar até o dobro do preço pelos mesmos produtos não tem sido um bom negócio para os cabeleireiros.

Diminuir os custos sem comprometer a qualidade dos produtos e serviços é fundamental nesse momento de dificuldade. Transforme isso um hábito, e gerará bons frutos sempre. Se aliar essas ações às estratégias de marketing, poderá aumentar ainda o seu faturamento em plena crise.

Fique atenta às oportunidades!

8 visualizações